Total de visualizações de página

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

AULA 3 - CURSO DE GESTANTES

 Saudade desse cãozinho... Zion!!! Tá lá com a família, antes eu via todos os dias, agora só quando vou visitá-los.

O tema da aula de hoje, foi: "As Transformações na Segunda Metade da Gestação". Nesta aula falaram sobre mudanças físicas, as sensações, os possíveis desconfortos nessa fase e final da gestação e preparação do corpo para o parto.
Nem preciso falar que foi muito bom assisti-la, pois as dúvidas que aparecem durante essa fase da gravidez são totalmente respondidas, com muita clareza e simplicidade. Vou recomendar novamente que façam essas aulas online, pois vão ajudar e muito as mamães a não ficarem encucadas com situações novas que vão acontecer durante as novas semanas e todas as aulas tem menos de 10 minutos para assistir, façam!!!
Olha, a para saber um pouquinho mais do que aprendi na aula de hoje, clique aqui!
Outro assunto importante que andei lendo pela Internet da vida, foi em relação ao uso de medicamentos sem prescrição médica durante a gravidez, o que é muito perigoso até mesmo pra quem não está gravida, portanto, antes de tomar qualquer remédio, seja um analgésico ou até mesmo um xarope, primeiro fale com seu médico, pois neles podem existir certas composições que são prejudiciais para a gestante e principalmente para o bebê!!! Leiam a matéria abaixo:
Remédios e gestação: uma mistura perigosa
Estudo publicado pela Universidade de São Paulo aponta um dado preocupante: a maior parte das grávidas não está sendo orientada sobre quais remédios tomar. Esta displicência pode comprometer a saúde e a vida da mãe e do bebê. Veja por que é preciso ser extremamente cautelosa na hora de tomar um simples comprimido
Por Maria Luiza Lara
Foto Gustavo Arrais
"Não tome remédio sem prescrição médica. Leia a bula." Quem já não escutou estas frases ao menos uma vez na vida? Embora elas sejam repetidas exaustivamente, as futuras mães brasileiras não estão dando a devida importância a estas recomendações. Foi o que constatou um estudo realizado pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP), da Universidade de São Paulo. A pesquisa envolveu 699 mulheres com mais de 30 semanas de gestação.
De acordo com a pesquisa, 60% das entrevistadas simplesmente não haviam sido orientadas sobre o que poderiam usar em caso, por exemplo, de uma cólica. Com base na classificação da Food and Drug Administration (FDA), órgão regulador de medicamentos nos Estados Unidos, os princípios ativos são divididos em cinco grupos: A, B, C, D e X. Sendo o A composto por remédios que não oferecem risco algum e o X, por drogas que têm efeitos negativos para o bebê –vão do aborto a má-formação. No estudo, que foi a dissertação de mestrado da farmacêutica Andrea Fontoura, os resultados foram inquietantes: “A maioria das mães utilizava alguma substância dos grupos A e B e cerca de 14% fazia ingestão regular de remédios de risco C – muitos dos quais apresentaram efeitos que interferem no desenvolvimento do bebê, pelo menos em pesquisa com cobaias”, conta a farmacêutica.
Você deve estar se perguntando quais são os remédios que entram em cada uma dessas categorias. E, ao contrário do que se imagina, nem todos os vilãos são medicamentos de tarja vermelha e preta. Analgésicos, remédios para gastrite, para micoses, e inclusive antitérmicos populares engordam esta perigosa lista. Até alguns complexos vitamínicos, bem recomendados a gestantes, quando apresentam excesso de iodeto de potássio entram para a categoria de risco C.
“A gestante precisa interrogar seu ginecologista e procurar pelo farmacêutico na hora de comprar algo. Ambos profissionais estão aptos a orientá-la”. E, claro, nada de aceitar sugestões de remédios de amigas, o que funciona para um organismo pode produzir um efeito totalmente adverso a outro. “É preciso promover um uso racional de medicamentos”, defende Andrea Fontoura.
http://bebe.abril.com.br/gravidez/saude/gestantes-e-remedios.php

Pois é mamães, fiquem sempre atentas a tudo, qualquer dúvida sempre consulte o seu médico, ou podem perguntar aqui, que eu pesquiso e depois respondo para vocês, claro que o médico vem em primeiro lugar!!! Mostrei essa matéria, pois tenho enxaqueca, e durante o início da minha gravidez tive muitas dores de cabeça, mas só comecei a tomar remédio (Paracetamol) depois de conversar com a minha médica, portanto, façam o mesmo!!!
"Hakuna Matata, é lindo dizer, hakuna matata vc vai entenderrrrrrr..." esse lembra a minha infância!!!

Por Carol Araújo.

Um comentário:

Mariana disse...

Uma pessoa que está grávida tem que prestar muita atenção aos medicamentos que toma porque geralmente não pode tomar quase nada.
Eu vou peguntar ao meu médico se posso tomar valtrex porque não tenho certeza.